quarta-feira, 24 de agosto de 2016

O Livro - Jorge Luis Borges

O Livro

Dos diversos instrumentos do homem, o mais assombroso é, indubitavelmente, o livro. Os outros são extensões do seu corpo. O microscópio e o telescópio são extensões da vista; o telefone é o prolongamento da voz; seguem-se o arado e a espada, extensões do seu braço. Mas o livro é outra coisa: o livro é uma extensão da memória e da imaginação.

Em «César e Cleópatra» de Shaw, quando se fala da biblioteca de Alexandria, diz-se que ela é a memória da humanidade. O livro é isso e também algo mais: a imaginação. Pois o que é o nosso passado senão uma série de sonhos? Que diferença pode haver entre recordar sonhos e recordar o passado? Tal é a função que o livro realiza.

(...) Se lemos um livro antigo, é como se lêssemos todo o tempo que transcorreu até nós desde o dia em que ele foi escrito. Por isso convém manter o culto do livro. O livro pode estar cheio de coisas erradas, podemos não estar de acordo com as opiniões do autor, mas mesmo assim conserva alguma coisa de sagrado, algo de divino, não para ser objecto de respeito supersticioso, mas para que o abordemos com o desejo de encontrar felicidade, de encontrar sabedoria.

Jorge Luís Borges, in 'Ensaio: O Livro'

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Lançamento de “Sentimento Oceânico” – de Marcos Freitas, dia 24 de agosto de 2016



Lançamento de “Sentimento Oceânico” – de Marcos Freitas

O poeta Marcos Freitas, a Editora Catrumano (São Paulo, SP) e o Ernesto Cafés Especiais têm o prazer de convidar-lhe para o lançamento do livro “Sentimento Oceânico”, nova coletânea de poemas, no dia 24 de agosto (quarta-feira) de 2016, às 19:00 horas, em Brasília – DF.


Programação:

Sessão de Autógrafos.


Declamação e leitura de poemas do livro “Sentimento Oceânico”, prefaciado por Anderson Braga Horta, apresentação de Edmar Oliveira e orelha por Jorge Amâncio.

Apresentação de Márcio Bomfim (voz e violão) e Marcos Freitas (percussão).


Roda de Poesia com poetas convidados (do Sarau Poemação, do Sarau Anarcopoético e do Coletivo de Poetas).



Serviço:
ERNESTO CAFÉS ESPECIAIS
CLS 115 Bloco C Loja 14
Brasília – DF
Horário: 19 horas.

Livro:
Sentimento Oceânico
Ed. Catrumano, São Paulo, 124p, 2015.
ISBN: 978-85-64471-45-0


quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Scarborough Fair




Recordar é viver!!

Às vezes penso o que seria de mim, sem memória!

Como viver sem minhas associações, sem minha rede neural, sem a trilha sonora da minha passagem por esse mundo, que, diga-se de passagem é bastante ampla, graças ao rádio, à telinha (programas musicais) e, à família, que sempre foi fã da boa música.

Para hoje, Simon & Garfunkel, e Andy Williams, na serenidade da canção "Scarborough Fair".

Delícia de ouvir!!

Quer uma outra versão/interpretação? Sugiro: Hayley Westenra (Celtic Woman) ou Sara Brightman






terça-feira, 9 de agosto de 2016

Em Todas as Ruas te Encontro


Em todas as ruas te encontro 
em todas as ruas te perco 
conheço tão bem o teu corpo 
sonhei tanto a tua figura 
que é de olhos fechados que eu ando 
a limitar a tua altura 
e bebo a água e sorvo o ar 
que te atravessou a cintura 
tanto    tão perto    tão real 
que o meu corpo se transfigura 
e toca o seu próprio elemento 
num corpo que já não é seu 
num rio que desapareceu 
onde um braço teu me procura 

Em todas as ruas te encontro 
em todas as ruas te perco 

Mário Cesariny, in "Pena Capital"