segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Greve Vitoriosa dos Trabalhadores Terceirizados do DF Categoria Conquista o Maior Reajuste do Brasil


Resultado
Data base 2016




Clique aqui para dar zoom

Fotos: Guina Ferraz

Mais de três mil trabalhadores terceirizados do Distrito Federal (DF), reunidos em Assembléia Geral de Data-Base 2015, no estacionamento do Teatro Nacional de Brasília, aprovaram por unanimidade, na manhã desta sexta-feira 23, a proposta patronal de reajuste salarial de 9% para quem ganha até R$ 1.500,00 e 7% para quem ganha acima desse valor.

O tíquete alimentação, que era de R$ 20,00 agora será de R$ 24,00.

A conquista da categoria, que é estimada em mais de 86 mil trabalhadores no DF e que são prestadores de serviços na limpeza, conservação, manutenção, merendeiras, recepção, bilhetagem e apoio administrativos nos órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF), Governo Federal e empresas privadas, já deverá vir reajustado no próximo vencimento.

Junto com os aumentos, a Convenção Coletiva de Trabalho dos Trabalhadores em 2015, também trará significativos avanços voltados para a melhoria da qualidade de vida e combate constante às ameaças, constrangimentos e assedio moral que muitos trabalhadores passam nos seus locais de trabalho.

A Assembléia Geral, também aprovou o retorno imediato aos postos de trabalho e ficou acordado com os patrões que todas as demissões ocorridas no período da greve serão revistas e os dias parados deverão ser negociados com os órgãos ou contratantes dos patrões.

Lutar e Resistir Para Conquistar

Em uma luta coletiva e vitoriosa há milhares de personagens e momentos inesquecíveis.

Na Assembléia de Data-Base, desta manhã, que decretou o fim da greve com aprovação maciça da proposta patronal, esse era o espírito de satisfação dos trabalhadores com a conquista por três anos seguidos do maior reajuste salarial de todas as categorias profissionais do Brasil.

O secretário geral do Sindicato da Fundação Universidade de Brasília (Sintfub), Mauro Mendes, destacou em sua fala, o importante compromisso dos trabalhadores com o movimento em seu todo; na participação no movimento grevista, à contribuição espontânea com a Taxa Assistencial, que tem função de suprir com as enormes despesas que o Sindiserviços-DF contraiu com aluguel de carro de som, de ônibus para buscar os trabalhadores das satélites, produção de material, produção gráfica, assessorias técnicas especificas, água, lanche, etc.

O secretário da Juventude da CUT Brasília, Douglas de Almeida Cunha, destacou o compromisso da categoria com a sua luta vitoriosa, que resultou, como disse, em uma expressiva vitoria.

“A greve foi fundamental para as conquistas que os trabalhadores tiveram no acordo. Merecemos mais, mas foi significativo principalmente no que diz respeito ao auxílio refeição, que era uma das principais reivindicações da categoria”, avalia Antônio de Pádua, diretor de Comunicação e Imprensa, do Sindserviços-DF.

“A CUT e suas entidades filiadas parabenizam a atuação do Sindiserviços-DF e dos trabalhadores terceirizados. Eles foram firmes, como sempre, e garantiram uma conquista importante para a vida de cada trabalhador e de cada trabalhadora. A Central e seus sindicatos se somaram à luta dos terceirizados, demonstrando solidariedade de classe, um dos princípios da CUT. E com certeza essa unidade da classe trabalhadora foi responsável pelo fim de uma greve vitoriosa”, declara o presidente da CUT Brasília, Rodrigo Britto.

Por Imprensa Sindiserviços-DF – Robson Oliveira Silva


quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Lutar e Resistir Para Conquistar É Greve Geral


ResultadoData base 2016


Desde a aprovação da greve geral por tempo indeterminado pelos trabalhadores terceirizados do Distrito Federal (DF), na Assembléia Geral de Data-Base, realizada na quinta-feira 15 de janeiro, que o movimento grevista tem se ampliado com a adesão de mais trabalhadores que garantem que só retornarão aos postos de trabalho quando os patrões apresentarem uma proposta de reajuste salarial digna com melhores benefícios e respeito profissional e social.


Numa das tantas demonstrações de luta, resistência e unidade, mais de três mil trabalhadores terceirizados nos serviços de limpeza, conservação, manutenção, recepção, merendeiras, bilheteiros e apoio administrativos nos órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF), Governo Federal e empresas privadas, participaram da Marcha dos Trabalhadores Terceirizados, na quarta-feira 21, que seguiu do Teatro Nacional de Brasília pelo Eixo Monumental até a Praça do Buriti.

Em frente ao Palácio do Governo do DF, dirigentes do Sindiserviços-DF - sindicato que representa a categoria, representantes de vários outros sindicatos, segmentos da sociedade civil e a Central Única dos Trabalhadores (CUT Brasil e CUT Brasília), em Assembléia, fortaleceram apoio irrestrito à greve dos terceirizados e destacaram às justas reivindicações dos trabalhadores.





O movimento sindical, também foi unânime em avisar para a nova equipe do GDF, que com os direitos dos trabalhadores não se mexe e não vão aturar a redução de 20% de trabalhadores nos contratos de terceirização no GDF, conforme Decreto recentemente homologado pelo governador.

Para os sindicalistas, a medida é irresponsável e levará milhares de pais e mães de família ao desemprego.

Greve Forte e Vitoriosa





Em todos os postos de trabalho no Governo do Distrito Federal (GDF), no Governo Federal e nas empresas privadas, os prestadores de serviços na limpeza, conservação, manutenção, carregadores, merendeiras, recepcionistas, porteiros e apoio administrativos, estão de braços cruzados em protesto à proposta dos patrões de reajuste salarial de 8% e o mesmo índice de aumento para o tíquete alimentação.

A comissão de negociação composta pelos dirigentes do Sindiserços-DF, em todas as reuniões da mesa de negociação tem demonstrado para os patrões a insatisfação dos trabalhadores terceirizados do DF com o atual salário, tíquete alimentação e, em muitos casos, a forma desumana e arrogante que muitos trabalhadores são tratados.  Unidos Somos Fortes!!!

http://sindiservicodf.org.br/portal/index.php/materias/109-lutar-e-resistir-para-conquistar-e-greve-geral


sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Trabalhadores Terceirizados do DF Rejeitam Proposta dos Patrões (Data Base 2015)





Por Imprensa Sindiserviços-DF – Robson Oliveira Silva 


Fotos: Guina

Ao expor na Assembléia Geral da Data-Base 2015, realizada no final da tarde dessa quarta-feira 07, no estacionamento do Teatro Nacional de Brasília, que os trabalhadores terceirizados e os vigilantes, por coincidência de data-base e patrões, estarão apresentando propostas conjuntas e que atendam igualmente às reivindicações trabalhistas das duas categorias. A presidente Maria Isabel Caetano dos Reis colocou em votação a proposta de reajuste salarial e tíquete alimentação apresentada pelos patrões de 8% e que foi rejeitada por unanimidade pelos quase três mil trabalhadores terceirizados presentes na Assembléia. 



A categoria também aprovou entrar em estado de greve e a realização de uma nova Assembléia da Data-Base para o próximo dia 15, excepcionalmente numa quinta-feira, às 17 horas, no estacionamento do Teatro Nacional de Brasília, ao lado da Rodoviária do Plano Piloto.




A sua fala também foi carregada de elogios aos bravos quase trinta mil prestadores de serviços na limpeza, conservação, manutenção, merendeiras, recepcionistas, bilhetagem do DFTrans e demais terceirizados no Governo do Distrito Federal (GDF), que estão sem receber o 13º salário e seus benefícios. 


A presidente comunicou que haverá uma nova audiência pública no Ministério Publico do Trabalho (MPT – 10º Região), nesta quinta-feira 08, às 15h30, agora com a presença dos novos dirigentes do GDF.