segunda-feira, 25 de outubro de 2010

POR QUE AS PESSOAS ENTRAM NA SUA VIDA



Aos Meus Amigos!!!!

*****
Pessoas entram na sua vida por uma “Razão”, uma “Estação” ou uma “Vida Inteira”.
Quando você percebe qual deles é, você vai saber o que fazer por cada pessoa.

Quando alguém está em sua vida por uma “Razão”… é, geralmente, para suprir uma necessidade que você demonstrou. Elas vêm para auxiliá-lo numa dificuldade, te fornecer orientação e apoio, ajudá-lo física, emocional ou espiritualmente. Elas poderão parecer como uma dádiva de Deus, e são! Elas estão lá pela razão que você precisa que eles estejam lá. Então, sem nenhuma atitude errada de sua parte, ou em uma hora inconveniente, esta pessoa vai dizer ou fazer alguma coisa para levar essa relação a um fim. Ás vezes, essas pessoas morrem. Ás vezes, eles simplesmente se vão. Ás vezes, eles agem e te forçam a tomar uma posição. O que devemos entender é que nossas necessidades foram atendidas, nossos desejos preenchidos e o trabalho delas, feito. As suas orações foram atendidas. E agora é tempo de ir.

Quando pessoas entram em nossas vidas por uma “Estação”, é porque chegou sua vez de dividir, crescer e aprender. Elas trazem para você a experiência da paz, ou fazem você rir. Elas poderão ensiná-lo algo que você nunca fez. Elas, geralmente, te dão uma quantidade enorme de prazer… Acredite! É real! Mas somente por uma “Estação”.

Relacionamentos de uma “Vida Inteira” te ensinam lições para a vida inteira: coisas que você deve construir para ter uma formação emocional sólida. Sua tarefa é aceitar a lição, amar a pessoa, e colocar o que você aprendeu em uso em todos os outros relacionamentos e áreas de sua vida. É dito que o amor é cego, mas a amizade é clarividente. Obrigado por ser parte da minha vida.

Pare aqui e simplesmente SORRIA.

“Trabalhe como se você não precisasse do dinheiro,  Ame como se você nunca tivesse sido magoado, e dance como se ninguém estivesse te observando.”,

“O maior risco da vida é não fazer  NADA.”

Martha Medeiros


quinta-feira, 14 de outubro de 2010

DAS COISAS QUE AMO VISCERALMENTE - How Do I Love Thee? (Sonnet 43)

Sempre me vanglorio da minha memória, apesar de ser mais visual do que auditiva.

As coisas boas que vejo, que ouço, no máximo, são um pouco arrefecidas pelo tempo, mas nunca saem da minha cabeça.

Um exemplo disso é este poema, simplesmente maravilhoso, declamado por Lalinha, a personagem de Gloria Menezes na novela 'Páginas da Vida' (é, aquela da mesa de jantar enoooooooooooooooorme!).

E como o bom e o belo precisam ser compartilhados, emocionem-se, assistindo ao vídeo, ou, simplesmente, lendo!

  Picture of Elizabeth Barrett Browning, poet and author of Sonnets from the Portugese poet; nineteenth century British Literature / English Literature and poetry
Elizabeth Barrett Browning,
 by William Charles Ross.


Amo-te quando em largo, alto e profundo
Minha alma alcança quando, transportada
Sente, alongando os olhos deste mundo
Os fins do ser, a graça entressonhada.

Amo-te em cada dia, hora e segundo:
à luz do sol, na noite sossegada.
E é tão pura a paixão de que me inundo
Quanto o pudor dos que não podem nada.

Amo-te com o doer das velhas penas,
Com sorrisos, com lágrimas de prece,
e a fé da minha infância, ingênua e forte.


Amo-te até nas coisas mais pequenas.
Por toda a vida. E assim Deus o quisesse,
Ainda mais te amarei depois da morte.

*


How do I love thee? Let me count the ways. 

I love thee to the depth and breadth and height 
My soul can reach, when feeling out of sight 
For the ends of Being and ideal Grace.


I love thee to the level of every day's 

Most quiet need, by sun and candlelight. 
I love thee freely, as men strive for Right; 
I love thee purely, as they turn from Praise.

I love with a passion put to use 

In my old griefs, and with my childhood's faith. 
I love thee with a love I seemed to lose.

With my lost saints, -- I love thee with the breath, 

Smiles, tears, of all my life! -- and, if God choose, 
I shall but love thee better after death.       

  
Elizabeth B. Browning


Biografia:



 

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

UP - ALTAS AVENTURAS


Olá, Caríssimos!

Algumas pessoas já sabem que tenho um enorme apreço pelo nome "Ellie".

Trata-se de  personagem do Filme UP - Altas Aventuras, uma das minhas fontes de inspiração (por vários motivos), tendo sido nome do meu blog no Space Live e, agora, neste. 

Por isso, sempre haverá alguma cena do filme no título.

Não é um conto de fadas, e também não considero uma história de amor. É mais que isso. É uma história de vida a dois, bem vivida, com direito a alegrias, problemas, sonhos, frustrações e perdas. Nada que não exista fora das telonas e que não conheçamos bem de perto.

O filme é lindo e vale o tempo dedicado a assisti-lo.

Para quem já curtiu, reveja algumas imagens da relação de Carl & Ellie  acesse o link: https://www.youtube.com/watch?v=9yjAFMNkCDo

Abraço a todos!!!

Magda


Ps: A propósito, o Violet, é por causa do filme Ultra-Violet.  Idéia de um dos meus amigos.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

A ARTE DE SER FELIZ

“Houve um tempo em que minha janela se abria sobre uma cidade que parecia ser feita de giz. Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco. Era uma época de estiagem, de terra esfarelada, e o jardim parecia morto. Mas, todas as manhãs, vinha um pobre com um balde e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas. Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse. E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz. Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor. Outras vezes encontro nuvens espessas. Avisto crianças que vão para a escola. Pardais que pulam pelo muro. Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais. Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho do ar. Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lopez de Vega. Às vezes um galo canta. Às vezes um avião passa. Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino. E eu me sinto completamente feliz. Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim."


 
Cecília Meireles


 


segunda-feira, 4 de outubro de 2010

TENTATIVA NOBRE I - DEU CERTO!!




segunda-feira, 4 de outubro de 2010
TENTATIVA NOBRE I - DEU CERTO!!


Prezados Leitores,
Nada como a rede para fazer descobertas ou complementar informações.
O post está tendo o seu nome modificado pois agora sabemos o autor do poema, seu título e complemento!
Ah, também retirei os artigos antes de "poder", pois eles inexistem.
Mais detalhes? Vide "Comentários".
Boa nova leitura!

 * * *
Poesias divulgadas nos ônibus do sistema de transporte urbano de Brasília, na década de 90.
De quem são? Não tenho a mínima idéia. Se alguém souber, me avise para eu colocar os créditos!


* * *

   ESPORAS TILINTAM
 
Esporas tilintam,
Faíscam no chão de pedra.
Homens reverenciam  poder.
Poder passa,
Homens tiram o chapéu,
Poder tira as cabeças.
 Galopo, quando quero.
Troto, quando interessa.
Passeio, se me apraz.
Rédeas soltas, rédeas presas,
Pêlo de prata,
Brioso.
Escolho rumo.
Escolho companhia.
Quando triste,
Olho o céu...
Se chove,
Levanto a cabeça,
Abro a boca,
Bebo aguardente.

* * *
 Carlos Alberto Abel


TENTATIVA NOBRE II


Sabe quem escreveu essa maravilha singela e forte?
li em um ônibus em Brasília, na década de 90.
Nos conte, por favor!!"

- II -

Libélula
Bela
Era
Fera
Era
Bela
Fêmea
Efêmera

***

A NOIVA CADÁVER

Sou fã do Tim Burton há muito tempo e cada vez que revejo os seus trabalhos fico encantada, pois é muita critividade.
Deixo os votos ditos por Victor a  Emily, que são realmente lindos, e
o duo ao piano.

"Com esta mão espantarei suas tristezas,
Sua taça jamais ficará vazia, pois eu serei seu vinho,
Com esta vela, iluminarei seu caminho na escuridão,
Com esta aliança eu lhe peço que sejas minha."

 

video

sábado, 2 de outubro de 2010

SE TU SOUBESSES - Alberto de Deus Nunes

(clique na imagem, para seus detalhes)


Se tu soubesses, ó minha deidade,
Do que se passa pelos corações
Dos moços que não tem felicidade
Talvez sentisses minhas aflições...

Se tu soubesses que em meu peito invade
Um pranto enorme de desilusões,
Talvez tivesses de mim piedade
E me sorrissem tuas afeições...

Ai, do poeta assim desventurado
Que tanto ama e nunca foi amado!
Ai, do vivente que for como eu...

Se tu soubesses deste amor, querida,
Talvez me desses toda tua vida,
Porque sou teu, inteiramente teu!

Alberto de Deus Nunes


sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Eclesiastes 3:1-8

Em relação ao tempo?
Sem comentários!
***
"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.
Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;
Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;
Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;
Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;
Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora;
Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;
Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz. "