quinta-feira, 20 de julho de 2017

Ilumine-se e Dance


Ilumine-se!
Dance!
Baile!
Rodopie!
Transcenda 
o palco
e dance
para o mundo:
o Seu mundo!

Ellie-Violet

💞💞💞💞💞💞

Luz X Sega


Luz x Sega

Empregar-lhe vida,
Amar com devoção,
Sentir açoitar o coração.
Que tange forte, incendeia,
E deixa longe essa candeia,
Que só propala a escuridão.

Ellie-Violet

Fragmentos de Dor





💔
Eu desisti da escuridão.
Vamos à sega, 
Desocupar a terra,
Remendar o coração. 
💔
Ellie-Violet

#Oremos



#Oremos, porque tá tenso!!
Chame o Pai, seu Buda, orixá, mentor, druida, mestre, mago, ou o que sua crença/filosofia te aconselhar, mas ore, se abra, mande bons fluídos e energia. 
O universo agradece e a gente também!
🌞🌞🌞🌞🌞

Permita-se ser o que quiser nessa vida, menos infeliz





🌿🌸💙🌞💙🌸🌿

Antônimos nem sempre refletem a realidade do 'contra' na vida. Isso é só gramática.
Exemplo: o contrário de 'amor' não é 'ódio', é a indiferença. Ou o de preto é branco. Será?
O contrário de ser feliz é não ser feliz.
Ser infeliz é outra história...
Excelente tarde a todos!
🌿🌸💙🌞💙🌸🌿

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Feliz "Dia do Rio" - Restrições de Usos na Bacia do Rio São Francisco entraram em vigor ontem

Bom dia, Pessoal!

Novidades no âmbito da Bacia do Rio São Francisco: A Agência Nacional de Águas - ANA deliberou, por meio da Resolução ANA nº 1043, de 19 de junho de 2017, publicada no Diário Oficial da União de 20 de junho de 2017, restrições de uso na bacia.

Vide texto, mas o resumo da ópera é: 1) captações, às quartas-feiras, somente para consumo humano e dessedentação animal; e 2)  nada de irrigação. Isso mesmo, o ato de irrigar, neste dia está proibido, ainda que se tenha água previamente acumulada.

Feliz Dia do Rio! Lembrem-se: é para uma boa causa!

§-§-§-§-§

"O DIRETOR-PRESIDENTE DA AGÊNCIA DE ÁGUAS-ANA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 103, incisos III e XVII, do Regimento Interno aprovado pela Resolução nº 828, de 15 de maio de 2017, torna público que a DIRETORIA COLEGIADA, em sua 660ª Reunião Ordinária, realizada em 19 de junho de 2017, com fundamento no disposto no art. 7º da Lei nº 9.984, de 17 de julho de 2000, e nos elementos constantes do processo nº 02501.001340/2017-99;
Considerando a grave situação de escassez hídrica ocorrente na bacia do rio São Francisco desde 2013, caracterizada pelas baixas precipitações com prejuízo para a reposição do estoque de água dos reservatórios;
Considerando que medidas para a redução das defluências dos reservatórios da bacia têm sido adotadas desde 2013, com o objetivo de conservar os estoques de água desses reservatórios visando ao atendimento dos usos múltiplos;
Considerando que as afluências para o reservatório de Sobradinho no período úmido 2016/2017 foram as piores do histórico já registrado e que há dúvidas sobre o comportamento do próximo período chuvoso, aumentando a necessidade de se preservar os volumes estratégicos nos reservatórios e aumentar a segurança hídrica da bacia;
Considerando o entendimento dos Estados que integram a bacia do rio São Francisco da necessidade de restrição de uso neste cenário atual de crise hídrica na bacia;
Considerando o disposto no art. 1°, inciso III, da Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997, que estabelece que em situações de escassez, o uso prioritário dos recursos hídricos é o consumo humano e a dessedentação de animais; e
Considerando o disposto no art. 15, inciso III, da Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997, que estabelece que a outorga de direito de uso de recursos hídricos poderá ser suspensa parcial ou totalmente, na circunstância de necessidade premente de água para atender a situações de calamidade, inclusive as decorrentes de condições climáticas adversas.
Resolveu:
Art. 1º   Estabelecer, tendo em vista a situação de escassez hídrica na bacia, o Dia do Rio como medida de restrição de uso para captações em corpos d’água superficiais perenes de domínio da União na bacia hidrográfica do rio São Francisco que ainda não estejam submetidas a outras regras de restrição de uso mais restritivas, conforme mapa anexo.
§ 1º      O Dia do Rio acontecerá às quartas-feiras, até 30 de novembro de 2017.
§ 2º      A medida poderá ser prorrogada caso se observe atraso no início do período de chuvas na bacia do rio São Francisco.
Art. 2º   No Dia do Rio ficam suspensas todas as captações realizadas nos corpos hídricos definidos no art. 1° desta Resolução, exceto para consumo humano e dessedentação animal, bem como as aplicações de água para irrigação, mesmo que oriundas de volumes reservados previamente.
§ 1º      O disposto no caput deste artigo também se aplica aos usos de água para irrigação localizados em distritos, perímetros, projetos ou outras infraestruturas de irrigação que possuam captação nos corpos hídricos definidos no Art. 1º desta Resolução.
§ 2º      Caso a captação seja compartilhada com outros usos, somente será permitido o uso para consumo humano e dessedentação de animais.
Art. 3º   O não cumprimento do disposto nesta Resolução será considerado infração e ensejará a aplicação das penalidades previstas na legislação pertinente, incluindo embargo, lacre e apreensão de equipamento e aplicação de multas.
Parágrafo Único. A fiscalização poderá exigir a instalação de equipamentos de medição e/ou a adoção de outras medidas com o objetivo de permitir a verificação do atendimento ao disposto nesta Resolução.
Art. 4º   A Agência Nacional de Águas promoverá a ampla divulgação desta Resolução.
Art. 5º   Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.
                                               
                                               VICENTE ANDREU 


segunda-feira, 12 de junho de 2017

Feliz Dia Sem Namorado. Mas, vamos mudar isso?




Hoje eu arrisco que dizer que ser feliz é muito mais que dar, sem piadinhas e sem querer contestar  Atos 20. É também receber.  

Dar, é confortável. Nos faz felizes. Não cria expectativas quanto ao retorno. Ao menos, não para mim.

Dar não incomoda.

Eu diria que é um bem-estar tremendo estar desse lado, pois sou do tipo que gosta do corredor dos ônibus e das aeronaves, para não incomodar os outros passageiros. Prefiro que eles fiquem confortáveis. O meu conforto é o conforto alheio.

Receber, porém, é mais difícil. Avermelhamos, no meu caso.   

Receber, ainda, pode ser constrangedor, pois ficamos sem saber onde nos enfiar. Ah! Quão felizes são os avestruzes, que pressentem as vibrações no chão e se fingem de arbusto.

Por isso quero salientar é que receber é uma arte. Ficar feliz com o que se recebe, uma aventura. Contentar-se, uma proeza. Afinal, quem recebe, tem expectativas em dois momentos. O “tenho algo para lhe dar” coloca os sentidos em alerta e o “o quê/quanto darei em retorno”, uma preocupação. Mas isso não precisa ser traumático.

Porque esse assunto? São Valentim, Pessoal! Tudo bem que isso é coisa da Idade Média, mas tem perdurado até hoje e, querendo ou não, muitos não passarão incólumes. 

Acho importante frisar que curto as datas comemorativas, mas, mais em termos de reflexão.

Um porém: esse bate-papo é mais voltado para quem está sozinho(a) e muito fechado em si mesmo(a).

Paralelo a isso, penso ser difícil encontrar alguém que se encaixe com o nosso perfil em todos os cômodos da casa, mas, digo também, não ser impossível alguém que o queira e ainda que queira muito.

Por favor, não tomem a expressão encaixar como algo pejorativo. Não é uma ação restritiva, à qual as pessoas se adequam e se perdem na vida umas das outras. Ela é necessária, afinal, somos diferentes, com criações diferentes, prioridades diferentes e demônios diferentes. Assustaram-se? Mas é verdade.  Nos só vemos parte do que somos, e os outros veem menos ainda. Então, a maleabilidade realmente precisa fazer parte da nossa rotina, tanto quanto a eventualidade.

O “ser receptivo” é importante para alguém se encaixar e são necessários, ao meu ver: 1) saber receber com afeto quem está entrando, de mansinho ou abruptamente (um “devagar com o andor” pode ser necessário); 2)  abrir essa porta com alegria, como se fora a do próprio coração (e não seria?).

Não precisa da opulência de um tapete vermelho. Precisa-se da simplicidade no acomodar este ser que às vezes está tão apavorado quanto você. Cabe relembrar que as situações se diferem e, com o tempo, o jogo pode ser invertido, onde então, você é quem deverá fazer essa trajetória.

Disse em outros textos, e repito: não sou uma pessoa subserviente, mas gosto de servir, de ser útil, o que me atrai muito mais que ser servida ou ajudada. Um exemplo: Sou requerida no trabalho pelo conhecimento institucional e por como repasso isso às pessoas que precisam. Ali é mais fácil controlar. 

Mas, o bom mesmo é dar e receber. Aptidão para a boa medida nos dois eixos e aí, sim, você terá uma chance de experimentar o lado mais pleno da vida e ser feliz. Talvez não para sempre, mas agora, hoje, ou num amanhã menos distante.

Essa é mais uma partilha:  tem sido um aprendizado para mim, sair da não recepção e da não parceria, pois estar sozinha se tornou um hábito escandalosamente bom, apesar de não tão saudável. Mas “quando um certo alguém, cruzou o ‘meu’ caminho e mudou a direção”, abri mão desse conforto, e não tem sido fácil. Não pensem que ganhei essas batalhas com louvor, pois a maioria das ações foi no limite do limite... Quem me conhece sabe dos meus níveis de ansiedade, intensidade e das minhas chatices. Mas prossigo tentando. Desistir de amar e de ser feliz ao lado de alguém já saiu dos planos.

Se alguém bater à porta, não percam a oportunidade que vocês têm de usufruir das sensações e dos desejos que o amor traz consigo. E, se der medo, vão com medo mesmo.  Foi o que fiz.

Feliz 12, 13, 14, 15 de junho a todos!

Magda